Você já aprendeu aqui no Portal Viver Bem com Diabetes que essa doença possui diversos tipos. Apesar de os sintomas do diabetes variarem e alguns serem assintomáticos, em todos os casos é fundamental realizar testes de glicemia capilar e laboratorial e exames, como por exemplo, o de hemoglobina glicada.

Nesse artigo vamos explicar um pouco mais sobre as principais diferenças entre os diabetes de tipo 1 e 2. Você entenderá como cada uma delas surge e, também, quais são os exames, tratamentos e hábitos necessários para conviver bem com esses dois tipos de diabetes.

 

O diabetes tipo 2

Cerca de 90% das pessoas que possuem diabetes apresentam o tipo 2 da doença, fazendo dele o mais comum de todos.

Para entender melhor essa condição é preciso compreender o papel da insulina: ela é produzida pelo pâncreas e utilizada pelo organismo para regular a quantidade de açúcar no sangue ao transportar a glicose para dentro das células.

Quando o pâncreas não produz um nível suficiente de insulina, ou não consegue utilizar a insulina produzida corretamente, o nível de açúcar no sangue aumenta e acarreta em um cenário de hiperglicemia.

Essa condição pode ser controlada através da alimentação saudável, prática de exercícios físicos e uso de medicamentos via oral. Se necessário, pode ser usada terapia com insulina, por isso, o acompanhamento médico é fundamental.

 

O que causa diabetes tipo 2?

O tipo 2 da doença é mais comum em pessoas acima dos 40 anos, mas a cada dia mais crianças e jovens são diagnosticados com essa doença. Ela pode ser causada tanto por fatores genéticos quanto por maus hábitos, como uma alimentação desbalanceada, sedentarismo, sobrepeso e obesidade.

No caso da propensão genética, o diabetes tipo 2 pode ser como uma herança familiar, o que quer dizer que caso alguém da sua família, principalmente pais ou avós (ou parentes de 1° ou 2° grau), tenham a doença, suas chances de desenvolver o diabetes tipo 2 é maior, por isso é melhor adotar hábitos saudáveis o quanto antes.

Alguns sinais e sintomas do diabetes tipo 2 podem ser:

– ir ao banheiro frequentemente para urinar;

– excesso de sede e fome;

– cansaço e fraqueza;

– má cicatrização de feridas;

– formigamento e perda da sensibilidade em membros inferiores.

 

O diabetes tipo 1

O diabetes tipo 1 é uma doença autoimune, ou seja, o próprio sistema de defesa do organismo ataca as células beta (que produzem insulina no pâncreas). Com isso, o hormônio não é produzido e o nível de açúcar no sangue se eleva.

A condição é mais comum em crianças e adolescentes, mas o diabetes tipo 1 também pode se desenvolver em adultos. Ele não tem cura, mas pode ser controlado por meio de acompanhamento constante dos níveis de glicose no sangue, terapias de insulina e mudanças na alimentação e no estilo de vida.

 

O que causa o diabetes tipo 1?

As causas do diabetes tipo 1 ainda não foram precisamente desvendadas pela ciência. Todavia, é possível afirmar que se trata de uma doença autoimune, onde as células do pâncreas são destruídas pelo próprio organismo, causando a deficiência na produção de insulina.

Alguns sinais e sintomas do diabetes tipo 1 são:

– aumento da sede e boca seca;

– frequentes idas ao banheiro;

– crianças começam a urinar na cama durante a noite (sendo que não o faziam antes);

– fome extrema;

– perda de peso involuntária;

– irritabilidade e outras mudanças de humor;

– fadiga e fraqueza;

– falta de concentração;

– dor de cabeça.

Caso você ou alguém de sua família apresente algum desses sintomas, consulte um médico imediatamente.

 

Revisado por Camila Cialdini Faria – Educadora em diabetes

 

Acompanhe os conteúdos do nosso portal para saber como viver bem com diabetes e lembre-se de assinar nossa newsletter para receber informações valiosas direto em sua caixa de entrada!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *