O glicosímetro é o aparelho utilizado por pessoas com diabetes para realizar o controle dos níveis de glicose no sangue. Em alguns casos, como na diabetes tipo 1, é preciso realizar diversas medições ao longo do dia, a fim de manter os níveis controlados e tomar decisões acertadas sobre, principalmente sobre a medicação.

Mas, assim como qualquer equipamento eletrônico os aparelhos de medir glicose, ou medidores de glicose, também necessitam de cuidado, manutenção e, em último caso, da substituição por uma nova unidade. Continue lendo e entenda quando é a hora de trocar o seu aparelho de glicemia!

 

Problemas por má utilização

Os medidores de glicose dependem de dois fatores principais para funcionar perfeitamente: o correto manuseio do aparelho e a sua calibração. Nesse contexto, os problemas provenientes da má utilização são muito mais comuns do que os erros de fabricação.

 

Principalmente no caso das pessoas que precisam realizar medições diárias, ou até diversas vezes ao dia, é preciso tomar alguns cuidados:

Calor excessivo

Evite deixar o aparelho em locais excessivamente quentes, como o porta-luvas do carro. É importante evitar, também, expor o aparelho diretamente ao sol. Uma boa sugestão é levar o glicosímetro em sua bolsa própria.

Frio excessivo

O frio em demasia também pode prejudicar o funcionamento do glicosímetro. Se a bateria do aparelho permanece em locais frios por muito tempo, o equipamento pode deixar de ligar e impedir que você faça suas medições no horário correto.

Quedas e impactos

As quedas também são uma causa muito comum de mal funcionamento nos aparelhos de glicemia. Pode parecer óbvio, mas tomar cuidado para não deixar o aparelho cair é fundamental para sua durabilidade.

Ambientes molhados ou com umidade em excesso

Como qualquer aparelho eletrônico, os glicosímetros também não devem ser expostos à água e nem a ambientes muito úmidos. Isso pode acarretar, inclusive, na perda total do equipamento.

 

Mas, quando devo trocar o glicosímetro?

Caso o seu medidor de glicose tenha passado por alguma das situações citadas acima é possível que ele apresente defeitos e/ou uma mensagem de erro no visor. O mais indicado nessa hora é remover a tira, caso esteja inserida, desligar o aparelho e voltar a ligá-lo. Fazer isso irá reiniciar o sistema e ele pode voltar a funcionar.

Outro problema muito comum são os resultados fora da realidade. Quando o aparelho está descalibrado é possível que ele apresente dados muito acima ou abaixo do que você está acostumado a ver.

 

Nesses casos é preciso considerar alguns fatores que podem alterar drasticamente os resultados antes de descartar o seu aparelho de glicemia:

– Mudanças drásticas na alimentação;

– Alterações na prática de esportes (para mais ou para menos);

– Lave bem as mãos antes de testar o aparelho para não contaminar as fitas;

– Tenha certeza de que a fita de teste é compatível com a marca do seu aparelho;

– Utilize a solução-controle fornecida pelo fabricante para calibrar o equipamento de acordo com as instruções do manual.

 

Outro ponto importante a ser verificado é a bateria do medidor de glicose. Quando ela está fraca, o aparelho pode apresentar resultados errados ou até parar de funcionar. Realizar a troca da bateria antes de considerar o descarte pode poupá-lo de gastos desnecessários!

Caso todas as opções acima tenham sido descartadas chegou a hora de trocar o seu medidor de glicose por um novo aparelho. Existem várias opções no mercado, algumas melhores que as outras. Por isso, pesquise bastante e opte por aquela que melhor se adapte à sua realidade.

 

Revisado por Camila Cialdini Faria – Educadora em diabetes

 

Assine agora a nossa newsletter e receba informações valiosas sobre como Viver Bem com Diabetes!

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *